Archive for 2012

Make Up - Arlequina


Um pouco da historia sobre a escolhida, Arlequina


Harleen Quinzel destacou-se durante o período escolar como uma ágil ginasta, o que lhe permitiu obter uma bolsa de estudos para estudar Psiquiatria na Universidade de Arkham. Para conseguir boas notas, usou por diversas vezes de artifícios censuráveis, como paquerar seus professores.
Posteriormente, trabalhou como psiquiatra no Asilo Arkham, onde conheceu Coringa, seu paciente. Enganada pela história de que ele havia tido uma infância infeliz, Quinzel apaixona-se profundamente. As autoridades suspeitaram que ela tenha sido a responsável por ajudar o Coringa a escapar por diversas vezes do asilo e, por isso, a aprisionaram. Durante um terremoto em Gotham City, Quinzel escapa da prisão e transforma-se Arlequina, parceira de Coringa no crime. O relacionamento entre Coringa e Arlequina é um dos mais complexos do Universo DC. Ele grita com ela, a agride e a abandona sem aviso quando é necessário, chegando a quase matá-la, às vezes. Porém, ela acredita que ele realmente a ama e que esses atos são apenas brincadeira. Coringa já demonstrou certas vezes ter afeto por ela, apesar de sempre ter um episódio onde ele a maltrata.

Comicstaku Store


Em breve estaremos divulgando nossa lojinha, onde estaremos vendendo gashapon, pelúcias, cosplays e muito mais, aguardem! =^.^=

Ribeirão Preto Anime Fest


Prepare seu cosplay porque 3º Ribeirão Preto Anime Fest dia 11 de Novembro está ai!
Circuito Cosplay, Circuito Animekê, Arena de Games, entre muitas outras atrações! 
Fique por dentro das novidades curtindo a pagina do evento no facebook!*RPAF*


Make Up: Darth Maul

Depois de muiiito tempo sem fazer makes voltei com make inspirada em Darth Maul, espero que curtam. =)



A Sombra da Cruz: Uma historia de sangue


- Logo após o assassinato de Abel por Caim, e em seguida seu exílio para a “Terra de Nod”, Caim teve como sua única aliada, se é correto dizermos desta forma, a que para muitos foi a primeira esposa de Adão, Lilith. Ela, apesar de ser mortal, fez o que pode para esconder Caim dos anjos Uriel, Rafael, e Miguel que sempre insistiam para que Caim pedisse perdão a Deus pelos seus pecados, afirmando que este era o único modo de terminar com seu exílio.
     O vampiro que agora aparentava estar mais calmo, deliciava sua taça com aquele liquido vital ainda quente que se encontrava em seu interior. Por hora, deliciava-se também com a cara de pavor estampada no rosto de Urbano.
      Urbano se encontrava sentado em uma mesa de pedra bem desconfortável tendo a sua frente o vampiro em sua ilustre poltrona e dentro dos seus mais belos trajes. Ao seu redor já não se encontrava mais ninguém, os convidados que antes ali estavam já, há muito, haviam partido deixando para trás somente lembranças horríveis na cabeça de Urbano. Muitas dessas lembranças envolviam seus, agora ex, guardas.
- Não é irônico? – Questionou o vampiro demonstrando um leve sorriso. – Aquele que se diz ser tão “poderoso” sobre o mundo em que vivemos, com pequenas diferenças é claro, estar interessado no pedido de perdão de um de seus “filhos”?  Ele estava tão interessado em ouvir este pedido, que enviou os seus melhores anjos simplesmente para tentarem pressioná-lo um pouco mais. – O vampiro dizia isso com um certo ar de indignação, como se o que acabara de contar ferisse diretamente o seu ego.
- Mas... Deus ama a todos nós... O que na verdade Ele queria era que... Que... – Começara e dizer Urbano timidamente.
- Cale-se verme! Eu sei exatamente o que “Ele” queria! Ele queria que Caim se curvasse para se tornar mais um cavalo cego e selado pastando pelo lindo mundo criado por Deus. Que vá para o inferno aquele tirano!  Não sei até hoje como Ele pode ser tão “adorado”, atualmente o clero está derramando mais sangue que todos os clãs juntos! – O vampiro havia retornado ao seu estado de fúria enquanto dizia aquelas palavras e olhava fixamente no rosto de pavor de Urbano.
- O-O clero só mata aqueles que... – Por mais que tentasse Urbano não conseguia parar de gaguejar frente ao pavor.
- Se você ousar abrir essa sua boca mais uma vez seu humano medíocre eu juro que não terá mais uma vida para dar as suas palavras.
     As palavras do vampiro foram ditas tão friamente que Urbano calou-se sem hesitação, ele simplesmente abaixou a cabeça e esperou pelo o que viria.
- Olhe em minha direção quando falo com você, verme! – Disse o vampiro retomando seu raciocínio. – Sei muito bem o que ia me dizer... Ia me dizer que o clero somente mata e puni aqueles que se opõem a “verdade” de Deus, não é mesmo? Não se esqueça de que apesar de toda a “bondade” do seu Deus, somente existo hoje graças ao Grande Dilúvio, no qual Deus puniu a todos banhando todo o mundo que hoje conhecemos em um profundo e infinito oceano.
     Urbano escutava aquilo calado, enquanto ao mesmo tempo não entendia o que o vampiro estava querendo dizer ao mencionar a história de Noé.
- Sim, o motivo real do Grande Dilúvio era na verdade uma forma que Deus encontrou em punir Caim mais uma vez, porém desta vez queria punir também as novas Crianças da Noite que ele havia criado. Acredito que deve ter sido muito difícil para Caim, que estava sozinho naquele seu “estado”, permanecer assim por muito tempo. Era claro que assim que Caim encontrasse a primeira cidade após a sua longa e miserável caminhada ele, além de estar faminto, iria também querer companhia.
     O vampiro notara agora que seu cálice estava vazio e isso pareceu ter deixado ele um tanto triste. Após analisar o cálice mais uma vez, certificando se realmente não havia mais nada lá, ele finalmente disse com um longo suspiro:
- Que pena, não irei encontrar tão fácil um sangue puro como o daquela moça do seu convento, pelo menos ela lhe deve ter sido muito valorosa. Não é todo dia que bebemos o sangue de uma pessoa que, por mais “fiel” que a pessoa diga ser, ela muda totalmente de espírito em frente ao pavor, morre acreditando que Deus ira leva-la a um lugar melhor.
     Urbano não estava chocado pelo fato de que naquele cálice havia sangue a pouco, mas sim com a confirmação de que uma de suas freiras, das quais muitas andam sumindo misteriosamente sem deixar qualquer vestígio, fora morta de forma tão violenta simplesmente para satisfazer as necessidades de sangue daquela criatura. Urbano começava a se pergunta quantas já haviam sido mortas até então.
- Terei que ser mais breve caso queira manter você vivo, nunca se sabe o que pode acontecer quando a “besta” passa a controlar o nosso corpo, principalmente quando estamos com fome.
     A medida que o vampiro dizia aquilo ficava cada vez mais claro a alegria expressada em seu rosto por ver ali sentado diante dele, em tremendo pavor e totalmente impotência, a pessoa que nada mais nada menos era a dita mais importante de todo o clero.
- Fiquei tão empolgado pensando no meu rebanho que esqueci onde paramos... – Disse o vampiro olhando para uma direção sombria da sala. – Ah, acabo de me lembrar... Após o Grande Dilúvio, Caim preferiu se esconder de todos, principalmente de seus “netos” temendo uma punição ainda mais severa de Deus. Porém essa atitude fez com que a Terceira Geração, dos quais chamamos de Antidiluvianos devido ao fato de terem sobrevivido ao Dilúvio, assassinasse toda a Segunda Geração, por isso digo que sou grato ao Grande Dilúvio. Acredito que se essa medida não fosse tomada a Segunda Geração iria cair em pavor como Caim e, sendo assim, iram parar de continuar gerando novas crianças da noite.
     Apesar de tudo aquilo parecer loucura, fazia sentido e era exatamente por isso que Urbano estava tão amedrontado, afinal se é verdade Deus vem tentando combate-los desde então e isso só poderia dizer que ele, um simples humano, mesmo tendo consigo o título mais alto do clero, não seria capaz de enfrenta-los.
- Acalme-se Urbano, o cheiro de pavor vindo de você está me deixando enjoado... - Disse o vampiro zombando de toda aquela situação.
- Como é de se imaginar a Primeira Cidade fora destruída devido ao Dilúvio, porém não demorou muito para que uma Segunda Cidade fosse erguida e os submissos mortais nada puderam fazer a não ser aceitar os Antediluvianos como seus reis. Não demorou muito para que a guerra por sangue começasse fazendo com que novas crianças da noite fossem criadas simplesmente para guerrearem entre si, o que levou muito tempo para fazer com que a Segunda Cidade fosse destruída. Muitos dizem que talvez esse seja o marco de inicio da Jyhad, a atual guerra de ideias que nós vampiros enfrentamos até hoje, porém nada é certo afinal não se encontra um Antediluviano com frequência para poder esclarecer isso além do fato de que, acredito eu, que mesmo eles estando entre nós eles não iriam querer se revelar.
     O vampiro agora estava a caminho da janela, como se estivesse em busca de um pouco de ar fresco o que Urbano sabia que não era verdade.  Por uma curta fração de segundos Urbano pode sentir certo ar de decepção vinda do vampiro.
- Sim caro Urbano, não fico muito contente com essa história. Acredito que a Jyhad nada mais é que uma briga mesquinha entre alguns membros em busca de poder, o que eu acho ridículo.  – O vampiro dizia essas palavras com um tom pesado em sua voz.
     Porém sua voz logo mudou de tom novamente, voltando a ter seu ar de superioridade.
- Sou um dos poucos vampiros que acredita que unidos podemos ser muito mais fortes e dominar a sua raça sem pudor, obrigando cada um de vocês a nos servirem, não só como alimento, mas também por diversão.  Por isso reúno todos os representantes, para tentarmos resolver esse dilema. Devo confessar que até hoje isso nunca deu certo, sempre tem algum lado que quer sair melhor que os outros. Mas isso não interessa a um verme como você.
     Urbano estava pálido, praticamente sem vida, por ouvi da boca de uma criatura tão pavorosa o seu terrível plano de dominar toda a humanidade. Ele não sabia se preferia viver para presenciar aquilo, o que até então parecia ser algo inevitável de se impedir, ou simplesmente pedir para que o vampiro o matasse de imediato.
- Mais uma vez Urbano, acalme-se... Não acredita mesmo que eu te falei tudo isso simplesmente por querer alguém para me escutar não é mesmo? Nós já governamos antes, e já interferimos diretamente em muitos dos fatos históricos da humanidade, sim chegamos até mesmo a sermos vistos como deuses em alguns desses períodos.  Porém todos eles envolvem guerras já que, como já disse possuímos essas terríveis rivalidades a grande diferença é que usamos vocês, o nosso rebanho, como peões nessa guerra, não mais nos atacamos, não diretamente, preferimos ver nossos semelhantes serem obrigados a fugir com medo de não ter mais recursos para se manter ali, afinal um bom rebanho precisa de comida, água ... E Sem um rebanho os vampiros simplesmente padecem.
- Você só pode estar brincando... – Disse por fim Urbano, se arrependendo de suas palavras.
-Cale-se verme! – Disse o vampiro furioso saltando sobre Urbano como um lobo logo após encurralar sua presa.
     O vampiro agora dizia suas palavras olhando diretamente nos olhos de Urbano, olhos tão aterrorizando quanto de um demônio sedento por morte. O vampiro parecia sussurrar, por um tempo Urbano passou a acreditar que o vampiro falava com ele diretamente na sua cabeça, pois não consiga nem mesmo ver a boca do vampiro se mexer para dizer tais coisas.
- Nós estamos aqui há muitos anos e não será você que ira atrapalhar isso.  Não se preocupe, não sou louco, não o suficiente, para querer ver a destruição da humanidade, afinal sem ela eu não posso me manter aqui. O motivo de você estar aqui hoje é que, após muitas lutas entre nós e o clero, o que vem se arrastando antes mesmo da Revolução Anarquista, terá que chegar ao fim. Nós iremos precisar nos juntar para que todos nós, vampiros e humanos, possamos nos manter aqui. Já perdi a conta de quantos, assim como você, entraram nessa sala acreditando ser o próprio Deus e saírem gritando como um cachorro sarnento com o rabo entre as patas, porém meu caro Urbano você assumiu o seu posto em uma época ruim. Nunca precisamos de vocês para nada, esse era o motivo de deixar as coisas como estavam, mas as coisas mudaram e você terá que usar seu alto título no clero para nos unirmos.
     Urbano ainda pálido e em estado de choque devido ao ataque que levará, não conseguia tirar os olhos daquela imagem aterrorizante que era ter o vampiro colado em seu rosto.
- M-Mas o q-que vocês querem da Igreja? – Disse Urbano prestes a desmaiar...
-Isso você saberá em breve meu caro... – Disse o vampiro soltando um sorriso macabro, levando Urbano a desmaiar em frente ao pavor.

Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3




Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3 (ドラゴンボールZ Sparking! METEOR ou Dragon Ball Z Sparking! METEOR!, no original) é um jogo eletrônico para PlayStation 2 e Wii em 3D, de gêneros ação e luta, desenvolvido pela Spike e publicado pela Atari, na América do Norte, e pela Namco Bandai, na Europa e no Japão. A versão para PlayStation 2 foi lançada na América do Norte e na Europa em 9 de novembro e 13 de novembro de 2007, respectivamente. Já o lançamento da versão para Wii ocorreu no dia 3 de dezembro de 2007 nos Estados Unidos e em 15 de fevereiro de 2008 no Reino Unido. No Japão, ambas as versões lançaram no dia 4 de outubro de 2007.Ainda no ano de lançamento, o IGN elegeu Budokai Tenkaichi 3 como o "melhor jogo de luta para Wii da E3 2007. O jogo teve um total de 0,94 milhões de vendas globais para a versão Wii, e 3 milhões de vendas globais para a versão PlayStation 2.

O jogo possui mais de 150 personagens jogáveis, sendo alguns deles inéditos como é o caso do "Rei Vegeta", e mais de 30 estágios. Cada versão do jogo tem um modo exclusivo: enquanto a versão do Wii tem o modo online com o Wi-Fi, a versão para PlayStation 2 tem o Disc Fusion System, que serve para acessar níveis novos de jogos anteriores. 

Ao meu ver não a muito a ser dito em questão de inovação de luta e câmeras, tendo em vista que a série "Budokai" sempre traz consigo uma expectativa muito grande em questão luta/ação, o que vez com que a série se tornasse consagrada desde sua época de Playstation 2. O game consegue com louvor manter manter seus "padrões" de á lá Budokai.

O game faz com que o jogador mergulhe ainda mais pelo universo de Dragon Ball, seja conhecendo o que você não sabia ou revivendo velhas lembraças o game promete manter muitos fãs na frente da TV.

Falando em "mergulhar" ainda mais, o versão para Wii tem como grande atrativo obrigar você a realizar os movimentos dos personagens para poder realizar seus ataques especias. Então preparesse para lançar alguns Kamehameha em seus inimigos. O que para ser sincero faz com que eu, um cara de 20 anos, me empolgasse realizando tais atos. 

Algo que achei muito interessante no game foi, além dos menus dinâmicos que acredito ser um dos mais criativos até então, a variedade na questão "modos de jogo". Podendo jogar desde o modo História e "Duel" até torneios realmente difíceis de encarar.

Como ponto negativo, devo dizer que o sistema de combos não agrada muito o que faz com que você simplesmente se preocupe em apertar freneticamente um botão, botão esse que também é utilizado para se esquivar dos golpes e se recuperar após um especial do seu inimigo, por exemplo. Isso faz com que toda a graça da batalha fique voltada em carregar sua barra de Ki mais rapido que seu inimigo para ver quem vai dar o seu golpe especial primeiro.

Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3 é um game muito bom para quem gosta de ver cenários sendo destruídos em meio a luta, personagens ficando "cansados" conforme suas barras de HP vão se esvaindo, e claro, pular de alegria se sentindo o próprio Goku ao derrotar o Majin Boo com sua Gekin Dama. De um modo geral é um game que recomendo para todos e o considero indispensável para os fãs.

Por Thiago Paixão

Para Ler: Rangers - Ordem dos Arqueiros



Para quem quer começar a ler é ótimo por não ter linguagem difícil e não ser tão longo, e para quem já ama ler e adora livros do tipo que contem cenários medievais e todos os seus enigmas.


Will é um garoto pequeno e frágil, que sempre sonhou em ser um guerreiro, assim como seu pai, que não pôde conhecer. Ele viveu no feudo Redmont, sob a proteção do Barão Arald, que protegia os órfãos de quem havia morrido lutando pelo feudo. Quando completa 15 anos, Will é recusado na seleção da escola de guerra por ser pequeno e fraco para os padrões de um guerreiro, e sem habilitades tanto quanto para nenhuma das outras escolas do feudo. Halt, o arqueiro, testa Will sem ele saber, e constata que Will possui as habilidades ideais de um arqueiro, e o aceita como aprendiz. A partir dai Will começa a ser treinado por Halt. Horace foi criado com Will e os dois sempre brigaram, porém, mais forte e maior, Horace sempre vencia as lutas, ao passo que Will apenas conseguia desviar dos golpes. Horace entra na escola de guerra e desempenha um excelente trabalho com armas, manejando com exímia facilidade a espada de treino. Então é convidado por seu mestre para participar de uma caçada a um porco do mato, que Will e Halt haviam encurralado. Porém, a caçada mostra seu perigo e um segundo porco ainda maior ataca Horace. Will sem hesitar salva o aprendiz de guerreiro do ataque do porco e Halt mata o animal com uma flechada final. A partir daí Will e Horace viram grandes amigos. Os arqueiros do reino são misteriosos, alguns acham que são feiticeiros por andarem sem serem notados. O trabalho de um arqueiro é espionar e levar mensagens de um feudo a outro, além de auxiliarem as tropas com estratégias de guerra. Suas armas, além do arco e da flecha são as facas, duas mais precisamente: a faca de atirar e a faca de caça. O segredo dos arqueiros para não serem notados são a leveza de seus movimentos,permitindo-lhes se camuflarem perfeitamente com a paisagem,sendo nisso auxiliados por suas capas verde-acinzentadas que se fundem com o ambiente.
Atualmente,a série no Brasil se encontra no seu 9º volume (Halt em Perigo),enquanto no exterior a série já rendeu 11 livros. 

Personagens: Solid Snake





Solid Snake (ソリッド・スネーク Soriddo Sunēku?)... esta ai um personagem do qual dificilmente alguém não conheça ou, que ao menos, não tenha visto uma imagem ainda. Ela é ninguém mais ninguém menos que o é o protagonista da série Metal Gear ...sabe, aquele game da Konami? Não sabe? Então vai estudar um pouquinho na frente do seu console...brincadeira. Mas enfim, não irei falar sobre o game aqui então caso queira conhecer um pouco mais sobre o ele te recomendo nem ler nada a respeito, jogue que você não ira se arrepender!
Solid Snake foi criado pela Konami no ano de 1987 - atenção essa não é sua idade de nascimento, na verdade eu nunca vi nada que fale a respeito de sua idade real. Snake( como é chamado durante as missões pelo Coronel, e os demais integrantes do seu grupo, pelo rádio) é uma combinação de um agente de operações especiais e um agente secreto que trabalha para a FOXHOUND, uma unidade fictícia de espionagem e operações encobertas, até que finalmente se aposenta e cria a Philanthropy.
Basicamente sua missão é destruir e desarmar um robô de ultima geração chamado de Metal Gear o veículo/arma, é um bípede capaz de ser armado com equipamento nuclear. Na pele de Snake você age a maior parte do tempo sozinho (claro que existe sua equipe pelo rádio e alguns aliados que te ajudam em alguns momentos do jogo). Podemos dizer que ele tem um estilo um pouco “anti-heroico”, ou seja, não pense que Snake é um cara bonzinho e bem educado, longe disso... Como um “espião” Snake luta, asfixia, quebra pescoços e atira contra seus inimigos sem piedade (desde que isso não faça com que ele seja descoberto) para poder cumprir com êxito suas missões.
Para tanto Snake conta a principio com um arsenal bem restrito e claro seu indispensável maço de cigarros. Com o decorrer das missões ele adquiri novas armas, rações, acessórios e disfarces (quem não lembra da bendita caixa de papelão?!)...
Snake é dublado nas edições japonesa e inglesa por seiyū Akio Ōtsuka e pelo ator/roteirista David Hayter, respectivamente. Coincidência ou não o verdadeiro nome de Snake é David.

Bom, falei um pouco deste personagem que eu admiro bastante e que acredito que tem uma história muito interessante (não quis falar muito da história para não criar spoilers). Espero que tenham gostado, até a próxima.

Por Thiago Paixão

Highschool of the Dead




Numa manhã comum tudo acontecia normal como em qualquer outro dia.Do telhado, Komuro Takashi, o personagem principal, observa um estranho acontecimento nos portões do colégio: um homem suspeito está causando confusão.Um dos professores ao tentar expulsá-lo, acaba sendo mordido pelo homem suspeito e em meio a gritos de desespero dos outros professores ele se levanta, porém agora ele é um zumbi. Ele então começa a atacar os outros professores que estavam com ele. Vendo isso, Takashi corre de volta para dentro do colégio e se une junto com sua amiga Miyamoto Rei e o namorado dela Igou Hisashi do qual é o melhor amigo.Agora o colégio já está infestado de professores e outros colegiais zumbis. Os três decidem então ir até o telhado, mas no caminho eles encontram um professor que foi transformado em zumbi. Esse professor acaba por morder Hisashi, que fica com o braço ferido. Após eliminarem o zumbi, eles conseguem chegar até o telhado da escola, além de encontrar diversos zumbis e alunos normais sendo atacados por eles em seu caminho. No telhado Hisashi começa a sentir os primeiros efeitos da mordida provocada pelo zumbi. Aos poucos ele começa a se transformar, até chegar ao ponto dele perder a consciência e ameaça atacar a Rei, Takashi ao ver que seu amigo não era mais ele, decide então atacá-lo, acertando sua cabeça com um bastão de beisebol. Após uma série de eventos dentro do colégio, Takashi e Rei se encontram com as personagens: Busujima Saeko, Takagi Saya, Hirano Kouta e com a enfermeira Marikawa Shizuka. Assim então começa a história de sobrevivência desse simples grupo escolar, em meio a uma enorme quantidade de zumbis, que se espalha por toda a cidade.
A história segue inicialmente as tentativas de fuga ou a luta pela sobrevivência das personagens, mas quando a série começa a progredir, introduz as questões relacionadas com o colapso da sociedade, os sobreviventes que se tornam perigosos, incluindo a possível destruição dos códigos morais humanos.


Personagens:


Nome completo: Komuro Takashi
Dublador(Seiyū): Junichi Suwabe
Idade: 17 anos
Descrição: Personagem principal, amigo de infância de Rei, Saya e Igou Hisashi. É apaixonado pela Rei desde pequeno, mas nunca contou sobre seus sentimentos a ela. Ele foi uma das primeiras pessoas a perceber que algo estava errado no colégio e rapidamente tomou medidas para escapar com seus amigos. Mais tarde na história Takashi desenvolve um relacionamento com Busujima Saeko, mas depois é revelado que só se aproximou dela para que ela não o ferisse.





Nome completo: Miyamoto Rei
Dubladora(Seiyū): Marina Inoue
Idade: 17 anos
Descrição: Garota que namorava Hisashi até sua morte, é amiga de infância de Komuro e mais recentemente mostra sentimentos fortes em relação á ele, não gosta muito de usar armas de fogo preferindo armas brancas.








Nome completo: Takagi Saya
Dubladora(Seiyū): Eri Kitamura
Idade: 16 anos
Descrição: Garota inteligente filha de um político importante, seus pais se casaram por conveniência, mas ela não se importa, é muito rica e a mais inteligente do grupo. Possui um ego enorme e acha ser superior a todos. Usando sua genialidade acaba descobrindo as fraquezas dos zumbis (todos são cegos, sendo atraídos pelo som). Como a maioria das garotas deste anime/mangá também aparenta estar apaixonada desde sua infância pelo Komuro.




Nome completo: Hirano Kouta
Dublador(Seiyū): Nobuyuki Hiyama
Idade: 16 anos
Descrição: Garoto muito inteligente e acima do peso, é um gunji otaku (maníaco por armas), amigo muito próximo de Saya e principal auxílio para Komuro, sempre tentando pensar nas possibilidades. Não luta nem usa armas brancas, mas é o melhor atirador e conhecedor de armas do grupo.







Nome completo: Busujima Saeko
Dubladora(Seiyū): Miyuki Sawashiro
Idade: 18 anos
Descrição: Garota que parece nutrir sentimentos por Komuro usa espada muito bem sendo a melhor á lutar com armas brancas dentre todos. Aparentemente é a garota mais durona do grupo(cargo ocupado por Saya), mas mesmo sem mãe e tendo um pai ausente possui um amor enorme por todos, mesmo por Rei, que a vê como rival.






Nome completo: Marikawa Shizuka
Dubladora(Seiyū): Yukari Fukui
Idade: 27 anos
Descrição: Enfermeira da Escola, é ela quem dirige e cuida de algum ferimento que eles possam vir a sofrer. Além de ser muito extrovertida, tem uma personalidade inocente, ás vezes, parece ter alguns sentimentos em relação ao personagem principal, Komuro Takashi, mas nada tão intenso que haja alguma "pista" disto no anime.






Nome completo: Maresato Alice
Dubladora(Seiyū): Ayana Taketatsu
Idade: 7 anos
Descrição: Garotinha salva pelo grupo tem cerca de 7 anos e está sempre com um cachorro também salvo por eles ao qual foi dado nome de Zeke, é muito apegada a todos no grupo.








Nome: Zeke
Descrição: Cão que anda sempre com Alice. O nome dele faz referência ao apelido que os norte americanos deram ao Mitsubishi A6M Zero um avião mono-motor durante a guerra do Pacífico. É sempre barulhento latindo muito. Foi salvo por Komuro estando Zeke a proteger Alice. O seu nome foi dado por Hirano. Incrivelmente, por ser muito barulhento, não foi perseguido por nenhum Zumbi.







Nome completo: Igou Hisashi
Dublador(Seiyū): Mamoru Miyano
Idade: 17 anos
Descrição: Namorado da Rei, inteligente e atlético, faixa preta de Karatê. Enquanto ele, Takashi e Rei decidiam o que fazer foram atacados por um dos professores e ele acabou levando uma mordida no braço, como foi uma mordida leve ele ainda ficou vivo por mais um tempo, mas acabou morrendo e virando um zumbi horas depois enquanto estavam no telhado.





Nome completo: Shidou Koichi
Dublador(Seiyū): Kisho Taniyama
Descrição: Um professor manipulador e cruel que segurou a Rei por um ano, porque seu pai é um policial que atrapalhava os negócios de sua família. Dentro do ônibus, Hirano ameaçou atirar com a arma de pregos nele, por verem que a sua liderança era falsa e manipuladora, por isso preferiram se separar do grupo dele. Depois disso promoveu orgias dentro do Ônibus escolar que mantém com alguns alunos durante um bom tempo. Após algum tempo, Shidou tenta entrar na casa do pai de Takagi onde o grupo estava abrigado mas acabou expulso de lá junto com seus seguidores minutos depois de sua chegada.



A Sombra da Cruz


A partir de hoje, de quinze em quinze dias postaremos partes da Saga:A Sombra da Cruz 
Autores: Natalia Pavlinscenkyte e Thiago Paixão
Peço a todos que se tiverem opiniões para melhorarmos os episódios deixem seus comentários! 

Piloto


Nem mesmo os sons sombrios que a noite provocava com seus ventos contra as paredes frias do castelo conseguiam tirar o foco e a tensão daquela reunião. Eles já estavam por lá há horas naquela sala escura discutindo sobre um assunto que parecia que não iria levar a lugar algum. Por mais que todos os presentes argumentassem algo nada parecia mudar e a reunião andava em círculos...
A sala era composta de pesadas cortinas vermelhas escuras, um tom que poderia ser dito como peculiar para aquele encontro.  Suas paredes eram compostas por pedras irregulares enormes, entre elas haviam pequenas frestas onde se abrigavam, uma a uma, velas o que dava uma iluminação um tanto sombria quando os ventos sopravam pela sala através de uma enorme janela, composta por grades, que lhes apresentava uma Lua Cheia difícil de ver com frequência de tão bela que era sua cor e forma e o céu limpo daquela noite ajudava ainda mais  a destaca-la em meio a escuridão do céu. No centro da sala havia uma enorme mesa, feita de madeiras nobres, contendo em si um brasão de uma família da nobreza. A mesa abrigava consigo 13 cadeiras muito confortáveis, sendo 6 de cada lado e uma posta em uma das extremidades, porém muitas estavam vagas mas ainda sim haviam cálices cheios na frente de todas as cadeiras.
Naquele momento o silêncio na sala era absoluto e todos os presentes pareciam estar exaustos de tanta conversa. Foi neste momento em que entrou através da única porta de acesso que dava para a sala, um homem com vestes de serviçal dizendo com alívio:
- Eles chegaram meu senhor...
- Pois então o que estão esperando para entrarem? – Disse impacientemente aquele que sentava na ponta da mesa.
- Sermos devidamente convidados... – Disse uma voz que vinha por traz do serviçal. – E bem recebidos.
- Ora, por favor, não me venha com suas brincadeiras ridículas após tanto atraso. – Disse o homem sentado apoiando seu cotovelo na mesa deixando sua testa se deitar sobre os dedos.
O serviçal saiu do caminho deixando passar para a sala três homens muito bem trajados com veste longos e brancos. Dois deles, um de cada lado, carregavam uma espécie de lança bem trabalhada, porém a ponta era em forma de cruz. O do meio trazia consigo um grande livro em contato com o peito, como se estivesse carregando uma criança recém-nascida, e utilizava um grande chapéu branco com uma cruz dourada desenhada. Todos eles traziam a mostra, pequenas bolsas couro, normalmente utilizadas para transportar água, presas na cintura além de um sorriso de pré-potencia estampado no rosto.
O homem sentado na ponta da mesa fez um gesto impaciente com as mãos para seu serviçal, fazendo com que o mesmo se retirasse da sala fechando atrás de si a pesada porta que dava acesso à sala. O homem, ainda sem olhar diretamente para os novos integrantes da sala, disse com um sorriso irônico:
- Experimente trazer o Sol da próxima vez, Urbano.
- Não ira nos convidar para sentarmos? – Disse o homem de chapéu, deixando seu sorriso de pré-potencia começar a se transformar em um sorriso mais amarelado.
- Você não é digno de sentar nela humano. – Disse irritado o homem sentado finalmente levantando a cabeça e olhando diretamente para os olhos de Urbano.
Como se tivessem visto uma assombração os guardas que portavam as lanças com a ponta em forma de cruz deram um passo para trás e prepararam suas armas um tanto hesitantes, como se tivesse medo de que o pior estava para acontecer.
- Por favor. – Disse o homem sentado. – Vocês realmente acreditam que suas armas, somente por terem um desenho bonito, já são o suficiente para nos enfrentar? – Disse ele rindo, fazendo com que o restante dos que estavam sentados à mesa fizessem o mesmo, apesar de parecer, pelo som das risadas, que havia mais pessoas naquela sala.
- Além do mais, Urbano não iria gostar da bebida que esta sendo servida esta noite. – Disse o homem entre duas goladas que dera no cálice.
- Saiba que não temos medos de vocês vampiros, de nenhum de vocês. – Disse Urbano abraçando com ainda mais força a bíblia que levava colada ao seu peito.
- Caro Urbano... – Disse finalmente o vampiro após uma pequena pausa para uma leve risada- Será que terei que lembrar a ti, humano tolo, do que somos capazes e de tudo que tivermos que enfrentar para chegarmos até aqui? – O vampiro estava se levantando lentamente de sua cadeira mantendo sua cabeça abaixada, fixa em seu cálice.
A esta altura, o sorriso com que os convidados haviam entrado na sala agora nada mais eram que uma boca aberta de espanto e medo. Urbano ainda tentou dizer algo mais nada saia de sua boca devido ao pavor.
- Responda-me seu verme! – Disse o vampiro finalmente de pé e golpeando com força a mesa de madeira, onde deixo fundo o local onde desferira o golpe.
- Pois bem. – O vampiro agora parecia estar calmo e confiante. – Eu irei ate ai contar a ti tudo sobre nós.
Neste momento o Vampiro estava se retirando da mesa e caminhava em direção a Urbano e seus guardas. Urbano apavorado ia recuando cada vez mais trazendo com ele seus guardas como escudos, porém recuou tanto que chegou até a enorme janela que estava aberta do lado oposto da mesa de onde o vampiro estava sentado anteriormente. Tudo que Urbano via a sua frente agora era seus dois guardas e um vampiro poderoso andando em sua direção, atrás de si estava a bela e calado noite de Lua Cheia.
Ao olhar para a mesa novamente Urbano pode ver nitidamente que as cadeiras que antes pareciam estar vagas estavam agora preenchidas pelos seus respectivos donos, exceto por duas cadeiras uma era de seu pior pesadelo, o vampiro que estava vindo em sua direção e a outra, pelo seu novo maior pesadelo, uma criatura grotesca que se escondia atrás da pesada cortina vermelha portando um aterrorizante sorriso bizarro. Tal visão quase fez com que Urbano caísse pela janela da qual estava a suas costas.
Após Urbano recuperar o equilíbrio, e o fôlego, ele olhou novamente para a direção em que o vampiro vinha ao seu encontro e o que viu foi pior do que a imagem da criatura que ele vira a pouco. A sua frente estava seus dois guardas agonizando como se fossem animais em um matadouro, com sangue espalhado pelas paredes da sala. Os outros integrantes da sala que antes estavam sentados na mesa agora estavam sobre os corpos dos guardas sugando tudo que podia por suas feridas. Quando Urbano pensou em gritar e sair correndo era tarde demais o vampiro estava cara a cara com ele e com um sorriso macabro estampado no rosto.
- Agora sim podemos conversar melhor. – O vampiro estava com os olhos vermelhos e com a pele tão branca quanto à luz que vinha da Lua naquela noite. – Agora escute com atenção seu verme, não irei ficar contente caso você se esqueça de tudo que irei te contar agora. Você não gostaria de me ver com raiva.
Sem opções, tudo que Urbano pode fazer foi concordar e escutar com atenção tudo que o vampiro tinha para dizer tendo visão, o tempo todo, de seus guardas tendo o pouco que restava de suas vidas sendo sugadas pelos outros vampiros. 

Beck Mongolian Chop Squad


Yukio Tanaka, apelidado de Koyuki por Izumi, sua amiga de infância, é um garoto japonês de 14 anos que tem uma vida monótona, pois é tímido e nada popular em sua escola. Sua vida começa a mudar quando espanta alguns garotos que estavam maltratando um cachorro (pouco comum, diga-se de passagem) com o nome de Beck e, consequentemente, acaba conhecendo o seu dono, Ryuusuke Minami. Ryuusuke Minami, o fenomenal guitarrista da banda Serial Mama, é um rapaz de 16 anos que voltou há pouco tempo de Nova York, onde viveu um bom tempo. Por isso, ele age mais como norte-americano do que como japonês. Na América, Ryuusuke foi influenciado por um amigo músico Eddie, que no momento presente possui uma banda conhecida mundialmente como Dying Breed (DyBre). No ano passado, Ryuusuke e Eddie tinham feito uma promessa de tocarem juntos novamente. Ryuusuke, na verdade voltou para o japão meio fugindo, pois a guitarra que ele possui é muito famosa por lá, e é conhecida pelo nome de Lucille. Na América, Ryuusuke e Eddie roubavam carros para se divertir, até que um dia roubaram o carro errado. Dentro do carro estava Lucille, a guitarra, e Beck o cachorro. Então, Ryuusuke levou Beck e a guitarra dizendo que ia continuar o legado de Sonny Boy. Só que descobriram que Lucille está com Ryuusuke, no Japão, e Leon Sykes, sobrinho de John Lee Davis (o verdadeiro dono de Lucille) e dono de uma grande gravadora, foi para o Japão pegar Lucille de volta e acabar com a vida de Ryuusuke. Então Ryuusuke influencia Koyuki a tocar guitarra emprestando uma guitarra a ele para ele aprender, mas coisas desastrosas acontecem fazendo os dois brigarem. Apesar de tudo, eles voltam a ser amigos e Koyuki aprende a tocar, entrando com seu amigo de escola Saku, na nova banda de Ryuusuke, chamada Beck, o nome do cachorro, além de Chiba no vocal e Taira, um dos melhores baixistas da cidade, mas descobrem que Koyuki canta bem e ele acaba dividindo os vocais em músicas com Chiba, apesar de que em algumas canções eles cantam individualmente. A banda Beck vive muitas aventuras em seus shows, suas turnes e shows em festivais, fazem eles conseguirem sucesso com o tempo. Koyuki também gosta da irmã de Ryuusuke mas a influência artistica que a garota recebe de pessoas famosas torna tudo realmente dificil para Koyuki.

Após um desastroso show, Eiji e Ryuusuke decidem se separar com a intenção compartilhada de criar a melhor banda do mundo, a princípio os dois começam um recrutamento de membros, isso gera algumas desavenças entre os dois. O Beck surge com quatro integrantes: Ryuusuke (guitarra), Chiba (vocal), Taira (baixo) e Toudou (bateria), a primeira crise vem com a saída de Toudou para ajudar em casa, porém de uma maneira emergencial Saku entra na banda acompanhado de Koyuki, no começo eles eram apenas uma solução provisória, mas após mostrarem determinação, são incluídos oficialmente no grupo.

Para a elaboração do nome da banda, Ryuusuke tomou a iniciativa e fez algumas tentativas, todavia, suas sugestões se baseavam no nome dele e depois alguma palavra referente ao resto da banda. Sugestões de Ryuusuke: -Grupo Miname Ryuusuke -Ryuusuke e sua banda -Banda do Minami Ryuusuke -R.E.M.(Ryuusuke excelente Minami) -Minami Ryuusuke e família -Orquestra Minami Ryuusuke Com a recusa desses nomes, Chiba dá a ideia do nome ser Beck, o mesmo do curioso cachorro de Ryuusuke.

Após um show de rotina a banda é visitada por um produtor que possui a intenção de levar a banda aos EUA, Ryuusuke porém recusa, mais deixa ele vender os cds na América, o produtor altera o nome da banda para Mongolian Chop Squad, a venda faz sucesso e os Mongolians Chop Squad entram na lista dos mais vendidos, entretanto como Ryuusuke não assinou o contrato eles não lucram nada, por sinal, a capa da versão americana mostra Ryuusuke com Lucille, é quando Leon descobre o paradeiro da guitarra.



Banda:


Chiba Tsunemi - Energético e carismático, Chiba é o vocalista da banda. Tem um estilo hip-hop de cantar que faz agitar a galera que o escuta. Provavelmente a mesma idade do Ryuusuke, de todos foi o útimo a ver o sonho, isso gerou um sentimento de exclusão da banda que o motiva a abandona-lá as vésperas de um grande show, porém ele volta a tempo. (Segundo o autor, Chiba foi inspirado em Zack de La Rocha dos Rage Against the Machine.

Taira Yoshiyuki - Um sério baixista, sempre estava a procura de uma banda que tivesse uma boa "química". (Segundo o autor, Taira foi inspirado no baixista Flea de Red Hot Chili Peppers). Devido as suas exímias habilidades, já passou por outras 3 bandas antes do Beck. É indispensável para qualquer banda.Tem 17 anos. No princípio era contra a inclusão de Koyuki na banda, mais após vê-lo cantar FACE, ele muda de ideia.Tanaka "Koyuki" Yukio - Personagem principal, Koyuki reclamava da monotonia de sua vida, até encontrar Ryuusuke que o influencia a entrar no mundo do Rock e a tocar guitarra. Tem 14 anos, iniciou seu aprendizado sobre fortes influências do rock britânico sob os ensinamentos de Saitou.



Yuji Sakurai (Saku) - baterista da banda, colega de escola de Koyuki, um cara bem calmo e bastante maduro. Sua frase preferida é: "os outros são os outros". Ele diz isso sempre que alguém está preocupado com a "concorrência". Tem 14 anos, após a fama de Koyuki ser arrasada pelos valentões do colégio, apenas Saku conversa com o mesmo.




                                                                                                                                        


Minami "Ray " Ryuusuke - Um grande guitarrista e dono de uma incrível noção musical. Ele é um nipo-americano. Quando mais jovem, fazia parte da mesma banda que Eddie Lee, o guitarrista da famosa banda Dying Breed. Tem uma grande rivalidade com o guitarrista do Belle Ame, que também montaram uma banda juntos antes do Beck. Tem 16 anos









Outros:

Minami Maho - irmã de Ryuusuke e uma ótima cantora. Ela fica bastante amiga de Koyuki e o ajuda muito em diversas ocasiões. Pode-se dizer que ela mantém uma relação um tanto peculiar com o garoto, formando o par romântico da série. Tem 14 anos seu sonho é trabalhar no cinema.








Ishiguro Izumi - Amiga de infância de Koyuki, muito popular ela parece gostar do personagem principal e adora frequentar casas de show, faz parte da turma do Beck.
















Saitou Ken'ichi - um homem de 44 anos, tarado por "material sacana" e "mentor" do Koyuki. É ele quem ensina Tanaka a tocar guitarra e a nadar, já que foi um grande profissional da natação no passado, após uma lesão teve que abandonar as piscinas, para superar a depressão começa a tocar guitarra. Ele foi o autor da letra de "Slip Out" e é apaixonado pela professora do Koyuki.













Beck - Cachorro encontrado por Eddie e Ryuusuke ao roubar um carro, vale lembrar que esse cão é bastente incomum e aparenta ser formado por pedaços de outros cachorros.






Primeiros Instrumentos


A Lucille é uma Gibson Les Paul. O baixo do Taira é um Musicmans Stingray. Em vários momentos Eiji, rival de Ryuusuke, toca uma Stratocaster(por curiosidade, quando Eiji e Ryuusuke tocam no Greatful Sound, no Mangá Eiji tem uma Ibanez, que no anime foi substituída por outra Strato).

A primeira guitarra (na verdade é um violão) de Koyuki foi uma L48 falsificada que Ryusuke roubou em uma loja nos EUA (ela foi até confundida com a L48 do Eddie, o que gerou muitos problemas).

Após isso, Koyuki ganhou do Saitou-San, uma Tibson Les Paul (uma falsificação da Gibson Les Paul). Foi com esta guitarra que Koyuki aprendeu a tocar.

Saitou dá a Koyuki por tempo indeterminado uma White Falcon da Gretsch, em troca de que o garoto una Saitou-San com Ogasawara Momoko, professora do garoto.

Depois de muito usar a White Falcon, Koyuki compra uma Fender Telecaster, com a ajuda de Taira.

Algum tempo depois, Koyuki encontra uma Gibson SG (usada pelo guitarrista Angus Young (AC/DC)) em um depósito onde trabalhava e fica com ela. No Avalon Festival, Koyuki compra uma nova guitarra, uma Fender Mustang.


Batman: Arkham Asylum


"Batman: Arkham Asylum" conta com uma ambientação envolvente e mecânicas que deixam o jogador realmente com a sensação de estar na pele do herói. O game começa com o fim de mais uma caçada do herói ao arqui-rival Coringa levando-o para o sanatório Arkham. No entanto, isto era o que o vilão pretendia, e com a ajuda de um agente ele assume o poder do local, pondo em prática o seu plano macabro de criar um super exército de reclusos, com o objectivo de espalhar a destruição por Gotham e, obviamente, matar Batman.

O cenário se passa em um gigantesco complexo - que engloba seis grandes prédios repletos de laboratórios, masmorras e passagens secretas - que conforme o herói o explora reecontra com seus velhos conhecidos rivais, com direito a participações de outros ilustres bandidos dos quadrinhos como Bane, Hera Venenosa, Espantalho e muito mais...

Embora história não seja uma das melhores, o clima e a ambientação criada faz com que o game se trasforme em um verdadeiro espetáculo passando por gráficos perfeiros até ruídos pertubadores. "Batman: Arkham Asylum" é um game adulto o que faz com que vejamos o uso sóbrio de violência, sensualidade e até alguns palavrões o que gera justamente a sensação de controlar o Homem-Morcego em uma situação de crise bem próxima ao visto nos quadrinhos nunca antes vista no videogame. 

Um ponto fundamental está na excelente dublagem, que conta com a presença de alguns atores do desenho animado, como Kevin Conroy (Batman), Mark Hammil (Coringa) e Arleen Sorkin (Arlequina). Hammil aparece especialmente inspirado e deixa transparecer ainda mais a insanidade e magnetismo do palhaço criminoso, em um trabalho tão memorável quanto o oscarizado esforço de Heath Ledger em "Batman - O Cavaleiro das Trevas".

O sistema de combate pode parecer simples no início, mas logo se revela bem mais absorvente com a introdução de vilões armados, que requerem maior estratégia na abordagem. Batman pode golpear, contra-atacar, tontear e usar alguns movimentos especiais. Pressionar o botão de soco sem parar pode te tirar de alguns problemas, mas para ganhar mais pontos de experiência  é essencial não interromper seus combos. O que deixa o game ainda mais interessante, já que contamos com um sistema de upgrade para seus equipamentos.

Outro aspecto do game é o lado da camuflagem em meio ao cenário, não podemos esquecer que nosso herói é um humano e será necessario muito mais que um roupa blindada para que ele consiga se manter vivo. Você terá que usar e abusar do poder de furtividade, e criatividade, para realizar ataques surpresas a inimigos dos quais sem uma boa estratégia o fim será certo.

Como já dito o cenário em que sabe o game é muito grande e claro você terá que explora-lo e muito, irã existir pequenos quebra-cabeças, como encontrado em "Resident Evil" por exemplo, para destravar certas portas e etc... Um ponto interessante é que o jogo possui um "modo", o "Detective Mode", que faz com que sua visão mude para um mode de sensor que ira te ajudar muito para encontrar pontos locais e itens especificos para dar progresso ao jogo, sem falar é claro que tal ferramenta se torna indispensável para resolver os inúmeros enigmas dados pelo Charada.

O game conta também com um sistema de "extras" como os Challenge Modes que criam situações de combate onde os jogadores podem deixar registrados seus pontos em um sistema de ranking. Por falar em extras, donos de Playstation 3 ganham um brinde interessante e exclusivo. Por download é possível baixar gratuitamente o Coringa para ser utilizado nos Challenge Modes. Não muda muita coisa e acaba por parecer uma maneira barata de compensar alguns probleminhas gráficos restritos à plataforma.


O game está disponível para PC/PS3 e XBOX 360.



- Copyright © Comicstaku | Unidos em um só mundo! -